Português Italian English Spanish

A importância da luta pela valorização da enfermagem

A importância da luta pela valorização da enfermagem


Quando você fechar um zíper de um saco mortuário de um paciente jovem, onde exaustivamente com os braços doendo de tanto fazer Reanimacção Cardíaca Pulmonar e infelizmente não se obteve êxito.

E você ainda tem que assistir uma mãe lá fora recebendo a notícia que esse filho veio a óbito, escutar os gritos, aqueles gritos que chega doer à alma e ter que se manter firme para não desabar porque você é mãe também.
 

Quando você sentir vontade de urinar, mas tem que segurar por mais uma hora pra ir no banheiro porque não pode atrasar os antibióticos do horário para 15 pacientes ao mesmo tempo em uma só enfermaria, caso contrário a infecção não será curada, e poderá gerar outras infecções. Quando você tiver que atender a um paciente em surto, e  aguentar ser cuspida, levar socos, pontapés, mordidas e beliscões.  E com toda paciência e olhar profissional medicar esse mesmo paciente e tentar acalma-lo.
 

Quando você tem um milhão de coisas pra fazer, evolução, prescrição, curativos, passagem de sondas, encaminhar vários pacientes para exames, punções, supervisionar o trabalho da equipe, e ainda assim encontrar tempo de escutar e aconselhar aquele paciente que quer conversar porque ele não recebe visitas há muito tempo da família, que o  deixou no hospital, e ele se encontra depressivo...
 

Quando você tiver uma ligeira noção de que a enfermagem é mais que cuidados, é mais que aplicar " Injeções" e dar banho, aí você pode falar sobre o quanto a Enfermagem merece receber, e vai inclusive perceber que esse piso ainda não é um valor justo em vista de tudo que realizamos dentro de um hospital.
 

Não é um Juiz que fica sentado e ganhando 46 mil por mês, fora os benefícios que tem que decidir.
Te convido a passar 24h dentro de um hospital Senhor Ministro, para V.Ex perceber o quanto a  Enfermagem merece respeito e que os  empresários só visam lucros.
Chega de exploração!
Piso já!!!

Por: Enfa Frias